Hernâni: O camisola amarela

Tempo de leitura
2 minutos

Hernâni: O camisola amarela

Outubro 31, 2015 - 16:30
Publicado em:

Do BTT à corrida passando pelo duatlo. Hernâni Amaral, 62 anos de idade e duas maratonas no curriculum, a caminho da terceira. 

Hernâni Amaral é já um rosto familiar para muitos atletas populares que o reconhecem e o tratam pelo primeiro nome, para surpresa do empresário nascido e criado em Aveiro que junta cor às provas em que participa, no tom amarelo da camisola que traz vestida, uma das suas imagens de marca enquanto atleta de pelotão.

 

«Tenho 62 anos mas sinto-me como se tivesse 26. Apenas troco os números» - é assim - e com um sorriso fácil - que Hernâni Amaral se apresenta à reportagem do Atletas.net, rodeado da ria de Aveiro, companheira de muitos dos seus treinos. A corrida é uma paixão assumida que começou a tomar forma em 2009, quando foi desafiado para as provas de duatlo, depois de vários anos dedicados ao BTT, sendo mesmo um dos fundadores do Cagaréus Bike Team. Vai daí e até à corrida foi um pequeno passo. Hernâni, cita Emil Zatopek para descrever o fascínio maior que veio a descobrir: «Se quiseres ganhar alguma coisa, corre os 100 metros. Se quiseres desfrutar de uma verdadeira experiência, então corre uma maratona» - e Hernâni Amaral explica a razão: «É uma experiência única. Este ano corri a Maratona de Barcelona num ambiente fantástico, com 200 mil pessoas na rua a apoiar os atletas. Só faltavam nos empurrarem para a meta, tal a quantidade de público» - diz Hernâni, que concluíu a prova em 3 horas e 42 minutos, envolto numa satisfação que não consegue descrever por palavras: «Só mesmo correndo uma maratona é que se consegue perceber o sentimento de realização pessoal. É algo verdadeiramente incrível» - admite o atleta aveirense que prepara a sua terceira maratona, que será, tudo indica, em Viena de Aústria, em abril do próximo ano.

«Corram e divirtam-se (...) e claro, se puderem, corram uma maratona. Vão ver que é a experiência de uma vida»

«A corrida não é uma moda»

A pergunta impôe-se: Será a corrida uma moda? Hernâni está convencido que não e prontamente argumenta: «A corrida não é uma moda. Apenas está na moda e penso que veio para ficar, pois correr, para além de fazer bem à saúde física e psicológica, não envolve nenhum tipo de logística especial, ao contrário do BTT. Um equipamento simples, umas sapatilhas e é tudo o que basicamente é preciso» - e acrescenta: «As pessoas, de uma forma geral começaram a ver o exercício físico como algo importante para a saúde, embora ainda falte aos portugueses alguma dose de cultura desportiva» - e explica o porquê: «Quando se organiza uma corrida, por exemplo em Aveiro, há sempre quem se manifeste por as estradas estarem cortadas. Puro comodismo. Se pensarmos na Maratona de Barcelona, o trânsito literalmente parou e as pessoas vieram para a rua apoiar os atletas. Um evento que terá deixado à cidade qualquer coisa como 18 milhões de euros e isso diz tudo».

Os conselhos de Hernâni Amaral 

Aos 62 anos de idade que conselhos pode um atleta sexagenário dar aos mais novos? Hernâni não hesita na resposta: «Corram e divirtam-se. Perdi a conta às amizades que fiz à custa das corridas e é sempre um prazer cruzarmo-nos com pessoas que partilham o mesmo hobby que nós. Correr é bom, disso podem ter a certeza» - e eleva o sorriso para atalhar na ideia feita: «E claro, se puderem, corram uma maratona. Vão ver que é a experiência de uma vida».